Rio Jogos Olímpicos 2016

Rio 2016 - É a vez do Riorio2016_obamario2016_vitoria

Agora é fato. A cidade do Rio de Janeiro que já tinha conquistado o título de cidade mais feliz do mundo, de acordo com a Revista Forbes, foi escolhida para sediar os Jogos Olímpicos de 2016.

Estávamos no Estúdio 1 no Posto 6, esperando uma pessoa para mostrar o apartamento (quando se aluga um apartamento por temporada é bom e recomendável que o interessado marque uma visita para ver o imóvel antes de fechar o contrato, fica aqui a dica). A bela sexta-feira de sol nos fez sair andando pela orla de Copacabana para ver como estava o movimento da torcida pela cidade.

E não é que chegamos na hora certa? Quando estávamos nos aproximando do palco montado na areia, uma voz anunciava a hora de abrir o envelope. Debaixo daquele sol imenso o coração gelou por segundos. De repente uma explosão de alegria ao ouvir o nome: Rio de Janeiro! Quem segura um povo assim? Pulavam meninas, senhores, crianças, sambava até quem achava que não sabia! Gritava “Uhuuuu” até a pessoa que um dia antes dizia: “torço por Chicago”. E apareceu quem? O Obama-clone acompanhado de uma primeira dama de papel, cercado por seguranças uniformizados em frente ao Copacabana Palace.

Foi bonito de ver. Se a palavra é “alegria”, deixa com a gente. Carioca é um povo rico em alegria. Mas agora é sério: Rio 2016, essa cidade ainda tem muita história boa para contar.

De onde saiu essa gente?

Sergio é carioca, analista de sistemas, fotógrafo e de bem com a vida. Participou de exposições do FotoRio, pode ser visto clicando eventos culturais como o Carnaval na Sapucaí, a Festa Literária Internacional de Paraty, ou a Bienal do Livro no Rio, afinal tem lá uma queda por literatura e também arrisca umas linhas vez por outra. Algumas de suas fotos, belas crônicas do Rio, podem ser vistas alegrando as paredes do Botequim Carioca em Berlim ou contando histórias no Museu do Descobrimento em Belmonte, Portugal.

Ane é gaúcha, graduou-se em Letras no sul, escreveu coisas em bloquinhos, participou de coletâneas de escritores contemporâneos, caminhou em linhas num blog quase famoso, foi pupila da Oficina de Criação Literária ministrada pelo escritor Assis Brasil na PUC em Porto Alegre, escreveu mais coisas em bloquinhos, foi estudar literatura num curso de Pós da PUC-Rio, riscou todos os bloquinhos, ganhou uma câmera fotográfica e saiu caminhando fora da ficção pelas ruas do Rio.

De mãos dadas, Sergio e Ane querem um Rio sempre mais bonito. Recolhem lixo na praia, batem papo com as figuras populares dos bares, beliscam petiscos cariocas entre rodelas de limão. Gostam de ter amigos poetas, cantores, músicos, fotógrafos, atores, artistas, escritores, amadores, criativos, criaturas do mundo. Misturam sotaques e planos no calçadão de Copacabana. Não são empresários, não são ricos, não são famosos. Só pessoas comuns com o coração na cidade do Rio, tentando encontrar as melhores linhas para os olhos de quem chegar por aqui.